Faturamento dos pequenos negócios de SP cresce 0,8%, pior índice em 5 anos
18/08/2014
 

O faturamento real (já descontada a inflação) das micro e pequenas empresas paulistas teve alta de 0,8% no primeiro semestre de 2014, na comparação com igual período do ano anterior, segundo levantamento do Sebrae-SP (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo).

Esse foi o pior resultado desde 2009, quando o faturamento das micro e pequenas empresas do Estado registrou queda de 10%. Na época, de acordo com o Sebrae-SP, os empresários sentiam os efeitos da crise financeira internacional.

Segundo o levantamento, a receita total dos pequenos negócios paulistas no semestre deste ano foi de R$ 285,4 bilhões, contra R$ 283 bilhões no mesmo período de 2013.

Na análise mensal, o faturamento registrado em junho ficou em R$ 45 bilhões, o que resultou em queda de 3,4% em relação ao mês de maio e de 1,9%, comparado a junho de 2013.

De acordo com o diretor técnico do Sebrae-SP, Ivan Hussni, a desaceleração da atividade econômica --com inflação elevada, salários com aumentos reais menores e piora na confiança dos empresários e consumidores-- influenciaram no resultado das micro e pequenas empresas no semestre.

Hussni afirma também que os os jogos da Copa do Mundo geraram uma diminuição do número de dias úteis em junho e os reflexos foram sentidos principalmente nas pequenas indústrias e no comércio.

Grande ABC tem maior queda de faturamento
Os pequenos negócios do Grande ABC tiveram a maior queda de faturamento no Estado: 10,2% semestre, comparado com igual período de 2013.

"No Grande ABC, há uma concentração relativa de indústrias dos setores automobilísticos e de autopeças que movimentam toda uma cadeia de fornecedores, porém o fraco desempenho do setor afetou diretamente os pequenos negócios", explica o coordenador de pesquisas do Sebrae-SP, Marcelo Moreira.

As micro e pequenas empresas do interior registraram a maior elevação: 2,6% no faturamento no primeiro semestre em relação ao mesmo período de 2013. A capital paulista teve alta de 2,1%, enquanto a Região Metropolitana apresentou queda na receita de 0,9%.

Setor de serviços é o único a registrar alta
Na análise por setores, o faturamento da indústria no semestre caiu 2,9% ante os primeiros seis meses de 2013. A receita do comércio recuou 1,9%. Apenas o ramo de serviços apresentou alta no faturamento: 5,5% no na mesma comparação.

O número de pessoal ocupado nas micro e pequenas empresas --que inclui sócios-proprietários, familiares, empregados e terceirizados-- sofreu uma variação de -0,2% no semestre, em relação a igual período de 2013.

Na mesma base de comparação, o rendimento real dos empregados teve variação positiva de 0,1%. O gasto total com salários dos pequenos negócios paulistas teve alta de 1,4%.

A pesquisa do Sebrae-SP é realizada mensalmente, com apoio da Fundação Seade. São entrevistados 2.716 empresários do Estado. No levantamento, os pequenos negócios são definidos como empresas de comércio e serviços com até 49 empregados e de indústria com até 99 empregados, com faturamento bruto anual até R$ 3,6 milhões. Os dados reais apresentados foram deflacionados pelo INPC-IBGE.

 
 
 
 
Cuidado com as mídias sociais: seu futuro empregador está de olho
leia mais
Mais de 3,5 mil acreanos já caíram na malha fina do IRPF 2015, diz Receita
leia mais
Indústria recua 0,8% em março, a menor taxa para o mês desde 2006
leia mais
Confiança da indústria atinge menor nível mensal desde outubro de 2005
leia mais
Vendas no varejo recuam 3,1% em fevereiro, a maior queda desde 2003
leia mais
Governo retoma PIS/Pasep e Cofins sobre ganhos de 80 mil empresas
leia mais
Veja 10 'bobagens' que contribuintes declaram no Imposto de Renda
leia mais
FMI diz que fraqueza do real é positiva para economia brasileira
leia mais
Comercialização de soja safra 14/15 chega a 60% em MT, diz Imea
leia mais
Receita começa a pagar restituições do Imposto de Renda em 15 de junho
leia mais
Inflação perde força na maioria das capitais, aponta FGV
leia mais
Em janeiro, IBGE prevê safra 4,4% maior que a de 2014
leia mais
Risco de faltar energia no SE e CO sobe para 7,3%, diz governo
leia mais
Criação de empregos formais cai 64% em 2014, para 396,9 mil vagas
leia mais
Produção de máquinas agrícolas caiu 17,9% em 2014
leia mais
Governo sobe IOF sobre crédito, tributos na importação e combustíveis
leia mais
Novas regras de benefícios vão afetar jovens e informais, diz economista
leia mais
Puxado por alimentos, IPC-S acelera na 1ª medição de dezembro
leia mais
IGP-M acelera alta a 0,98 em novembro, diz FGV
leia mais
Preço da energia sobe e pressiona inflação pelo IPC-S em novembro
leia mais
Cortes devem envolver redução de subsídios financeiros, diz Mantega
leia mais
Dólar cai mais de 3% ante real e volta a R$2,38, após eleições
leia mais
'Prévia do PIB' tem expansão de 1,5% em julho, maior alta mensal em 6 anos
leia mais
Indústria vive 'um dos piores momentos da história', diz CNI
leia mais
Agricultores de SP fazem festa para comemorar a safra da uva
leia mais