Receita de serviços sobe 5,7% em junho, diz IBGE
20/08/2014
 
O setor de serviços registrou crescimento nominal de 5,7% em junho, na comparação com o mesmo mês de 2013, segundo dados divulgados nesta terça-feira (19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e 
Estatística (IBGE). Essa é a menor variação da série histórica iniciada em janeiro de 2012. Em maio, o indicador havia ficado em 6,6% e, em abril, em 6,2%.
No ano, a receita dos serviços acumula alta de 7,4% e, em 12 meses, de 8% – os menores índices da série.

"Fazendo uma síntese do que correu no mês de junho, a Copa do Mundo beneficiou alguns setores e para outros ela não trouxe grandes benefícios. Isso por causa do grande número de feriados e dias parados", disse Roberto Saldanha, técnico da Coordenação de Serviços e Comércio do IBGE. "Isso trouxe um certo desaquecimento nos setores de serviços, principalmente nos setores institucionais. 
Se por um lado houve benefício para setores ligados diretamente com a Copa, como alojamento, alimentação e serviços audiviosuais, outros setores apresentaram desaquecimento em função de uma queda na demanda dos seus serviços", complementou.

De acordo com o IBGE, os serviços prestados às famílias cresceram 11,2%; os de informação e comunicação, 5,7%; os profissionais, administrativos e complementares, 7,3%; transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, 4,6%; e outros serviços, 1,2%.

Contribuíram para a desaceleração do setor o resultado de 4,6% dos transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio, inferior aos meses de maio (7,5%) e abril (8,0%), e o crescimento de 1,2% em outros serviços, contra 5,6% em maio e 9,7% em abril.

“Toda a parte de demanda do transporte de cargas foi desaquecida por causa do grande número de feriados e dias úteis não trabalhados”, afirmou Saldanha.

Na análise regional, as maiores variações ocorreram no Distrito Federal (18,7%), Rio de Janeiro (12,4%) e Goiás (10,2%) e, as menores, em Minas Gerais (0,7%), Alagoas (1,1%) e Amazonas (1,4%).

“Pudemos observar que a Copa do Mundo afetou de forma diferenciada algumas unidades da federação. Umas tiveram crescimento maior do que outras", disse. Segundo o técnico do IBGE, merece destaque a Bahia, que registrou crescimento de 33,9% em alimentação e alojamento. Pernambuco teve 17,7%, e o Rio de Janeiro, 15%. O menor aumento foi visto no Paraná (7,4%), onde mais pessoas preferiram usar campings. "Não houve crescimento muito grande em estabelecimentos como hotéis e pousadas e, sim, em campings, que têm peso bem menor na composição nesse segmento”, afirmou Saldanha.

 
 
 
 
Bovespa fecha no vermelho, após declarações sobre juros nos EUA
leia mais
Vendas no Dia do Consumidor somaram mais de R$ 200 milhões
leia mais
Governo ampliará a oferta de obras de geração de energia, diz ministro
leia mais
Medida 'acaba com o programa de desoneração da folha', diz Fiesp
leia mais
Agricultura puxa alta do PIB, mas infraestrutura limita crescimento
leia mais
Mercado prevê crescimento perto de zero e inflação acima de 7% em 2015
leia mais
Economia terá 'resultado negativo no curto prazo', diz Levy em Davos
leia mais
Inflação pelo IPC-S fecha 2014 em 6,87%; veja itens que mais pesaram
leia mais
Economistas elevam projeção para a Selic a 12,5% em 2015
leia mais
Reajuste da gasolina eleva também o preço do etanol, mas biocombustível ainda é mais vantajoso para o consumidor
leia mais
Produção de petróleo e gás natural bate novo recorde, diz ANP
leia mais
País tem 3,5 milhões de empresas inadimplentes
leia mais
Previsão do PIB cai pela 12ª semana e fica em 0,79%, diz BC
leia mais
Preços em alta compensam menor produção de café arábica em MG
leia mais
Em MG, cooperativa aluga máquinas que agilizam a colheita do café
leia mais
Alimentos ficam mais baratos, e inflação em SP desacelera, diz Fipe
leia mais
SP: empresa é multada em R$ 1 bi por contaminar funcionários
leia mais
Inflação dos produtos de verão é de 8,61% em 1 ano, aponta FGV
leia mais
Agricultores de MT esperam preços melhores e seguram a venda da soja
leia mais
Emprego na indústria fica estável em novembro e indica queda para 2013
leia mais
Inflação oficial fecha 2013 em 5,91%, diz IBGEv
leia mais
Instituições financeiras estimam crescimento em 1,95%
leia mais
BNDES aprova R$ 603,9 mi para parques eólicos no RS
leia mais
Brasil vai crescer menos da metade dos emergentes em 2014, diz FMI
leia mais
Poupança ainda ganha da renda fixa
leia mais