Mercado reduz previsão para PIB e vê inflação em 6,56% em 2015
05/01/2015
 
O primeiro boletim Focus do ano mostra que a expectativa do mercado financeiro em relação ao crescimento da economia em 2015 diminuiu e a previsão para o avanço dos preços aumentou. A pesquisa, divulgada nesta segunda-feira (5), foi conduzida pelo Banco Central na semana passada com mais de 100 instituições financeiras.

Segundo a estimativa dos analistas, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 2015 deverá ficar em 6,56%. No boletim Focus anterior, a expectativa era de que a infllação atingiria 6,53%. O número continua acima do teto do sistema brasileiro de metas de inflação.

Para 2014, a expectativa dos economistas para a inflação aumentou também, de 6,38% para 6,39%. O número fechado será apresentado pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta semana.

Para o Produto Interno Bruto (PIB), os economistas reduziram a estimativa de uma alta deste ano de 0,55% para 0,5%. Se confirmada, será a menor expansão desde 2009, quando o PIB teve retração de 0,33%. Para 2014, a estimativa aumentou de 0,14% para 0,15%.

O PIB é a soma de todos os bens e serviços feitos em território brasileiro, independentemente da nacionalidade de quem os produz, e serve para medir o crescimento da economia.

No fim de outubro, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou que a economia brasileira saiu por pouco da recessão técnica no terceiro trimestre de 2014 – quando o Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 0,1% na comparação com o trimestre anterior. De janeiro a setembro, a economia teve expansão de 0,2% frente ao mesmo período do ano passado. Já no acumulado em quatro trimestres até setembro, a alta foi de 0,7%.

Taxa de juros
Para a taxa básica de juros da economia brasileira, a Selic, que avançou para 11,75% ao ano neste mês, a expectativa do mercado para o fechamento de 2015 permaneceu estável em 12,50% ao ano. Isso quer dizer que os analistas dos bancos esperam alta nos juros no próximo ano.

A taxa básica de juros é o principal instrumento do BC para tentar conter pressões inflacionárias. Pelo sistema de metas de inflação brasileiro, o BC tem de calibrar os juros para atingir objetivos pré-determinados. Em 2014, 2015 e 2016, a meta central é de 4,5% e o teto é de 6,5%.

Dívida líquida, câmbio, balança comercial e investimentos estrangeiros
Para o término de 2015, a previsão dos analistas para a taxa de câmbio ficou em R$ 2,75 por dólar.

A projeção para o resultado da balança comercial (resultado do total de exportações menos as importações) em 2014 se manteve em um resultado negativo de US$ 2 bilhões. Para 2015, a previsão de superávit comercial também permaneceu em US$ 5 bilhões.

Para este ano, a projeção de entrada de investimentos estrangeiros diretos no Brasil permaneceu em US$ 60 bilhões. Para 2015, a estimativa dos analistas para o aporte ficou estável também em US$ 60 bilhões.

A previsão para a dívida líquida do setor públicou em 2015 subiu: de 37% para 37,3% do PIB; Para 2014, a estimativa também avançou, de 35,80% para 35,90% do PIB.

Autor: Do G1, em São Paulo

 
 
 
 
Veja as cidades que mais demitiram e as que mais contrataram em abril
leia mais
Com maior procura por vagas, salário em empregos com carteira assinada cai pela 1ª vez desde 2003
leia mais
Advogado cria solução caseira e economiza 300 litros de água no RJ
leia mais
Temor de colapso energético por falta de água aumenta procura por gerador
leia mais
Ministério Público pede suspensão da mistura de 27% de etanol na gasolina
leia mais
Guardar ao invés de consumir permite países crescerem, diz Levy
leia mais
Contas de luz sobem, em média, 23,4% no país a partir desta segunda
leia mais
Empresários e sindicalistas criticam nova alta dos juros
leia mais
Brasil deverá colher 201 milhões de toneladas de grãos em 2015, diz IBGE
leia mais
Combustíveis já sobem nesta semana
leia mais
Aneel autoriza Furnas a reforçar instalação de subestações de energia
leia mais
Gasolina pode subir mais de 8% com alta de tributo
leia mais
Número de imóveis financiados com recursos da poupança cresce só 1,6%
leia mais
Banco Mundial corta estimativa para crescimento global apesar de queda do petróleo
leia mais
Inflação vai `castigar economia` em 2015, diz Fecomercio-SP
leia mais
Com seca em SP, indústrias recorrem a 'rodízio' e piscina para estocar água
leia mais
Conta de luz já está 28% mais cara do que logo após MP para reduzir preços
leia mais
Pela 19ª semana seguida, mercado baixa previsão de alta do PIB de 2014
leia mais
Seca provoca queda na produção de café em propriedades de MG
leia mais
Confiança do consumidor de SP sobe em agosto, mas segue baixa
leia mais
Copa atrapalha comércio e indústria no 2º trimestre
leia mais
Em SP, estiagem prolongada afeta a safra da cana-de-açúcar
leia mais
Busca do consumidor por crédito cai 2,5% no semestre, diz Boa Vista SCPC
leia mais
BC prevê 14% de alta nos preços da energia elétrica neste ano
leia mais
Seca prejudica agricultura de SP e lavouras não se desenvolvem
leia mais