PIB do agronegócio cresceu 0,13% em janeiro, dizem a CNA e o Cepea
19/05/2015
 
Puxado pelo bom desempenho da pecuária, o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio cresceu 0,13% em janeiro na comparação com igual mês do ano passado. Esse foi o melhor resultado desde julho de 2014, quando a taxa havia sido de 0,16%. Em 12 meses até janeiro, o setor acumula expansão de 1,72%. Os dados, divulgados nesta sexta-feira (15), são parte de uma pesquisa da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e do Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea), da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq/USP).

Segundo a pesquisa, a alta do mês foi quase que determinada pela pecuária, que cresceu 0,34%. A agricultura avançou menos, 0,02%. Diante desse quadro, a renda do agronegócio para 2015 ficou estimada em R$ 1,209 trilhão, sendo R$ 819,46 bilhões (68%) referentes ao ramo agrícola e R$ 390,48 bilhões (32%) ao setor pecuário.

O desempenho da pecuária em janeiro resultou do crescimento de todos os segmentos, com exceção da indústria de processamento animal, que recuou 0,07%. Para insumos, a alta foi de 0,42% e a lista segue com expansão de 0,48% para primário e 0,28% para serviços. No ramo agrícola, apenas o segmento de insumos cresceu, registrando um avanço de 0,47%. O segmento primário da agricultura manteve-se praticamente estável. Apresentou alta de 0,01%. Já a indústria e os serviços recuaram 0,03% e 0,05%, respectivamente.

Apesar do ligeiro crescimento da agricultura em janeiro, com expansão de 0,02%, o acumulado de 12 meses até o esse início de 2015 continua negativo, a queda é de 0,67% no período. A pecuária, em contraponto, continua apresentando taxas robustas de expansão e, em 12 meses, acumula alta de 7,09%.
Segundo a CNA, na agricultura, um desempenho considerado fraco para os preços pesou e a média das atividades acompanhadas pelo estudo apresentou elevação real de apenas 0,03%. Com isso, o crescimento da produção previsto para este ano foi classificado como "relativamente modesto" pela entidade, com expectativa de alta de 0,95% frente a média de 3,05% de 2014. Esse cenário, no entanto, foi desenhado antes da disparada do dólar frente o real, fator que pode ser um determinante para as exportações de produtos agrícolas.

Entre as culturas acompanhadas, espera-se crescimento anual para arroz (0,42%), batata (130%), café (54,18%), cebola (126,28%), fumo (3,51%) e tomate (1,39%). Os produtos para os quais se espera retração do faturamento em 2015 são algodão ( queda de 36,68%), banana (- 12,43%), cacau (-17,69%), cana (-3,09%), feijão (-8,51%), laranja (-2,54%), mandioca (-57,06%), milho (-4,09%), soja (-8,5%), trigo (-29,09%) e uva (-2,03%).

Autor: Estadão Conteúdo

 
 
 
 
Dólar fecha semana em alta após declarações sobre juros nos EUA
leia mais
Mercado aumenta previsão de inflação, baixa de PIB e vê mais juros
leia mais
FMI passa a ver contração de 1% do PIB do Brasil em 2015, com mais inflação
leia mais
Mudanças política e tributária tornam etanol mais vantajoso para nova safra
leia mais
Crise no Brasil vai piorar antes de melhorar, diz 'Financial Times'
leia mais
Intenção de consumo das famílias cai 11,9% em março, aponta CNC
leia mais
Mercado financeiro prevê PIB menor em 2015
leia mais
Esclarecimentos sobre a economia
leia mais
Alta da taxa Selic vai influenciar nas compras a prazo
leia mais
Novas regras do seguro-desemprego já estão valendo; entenda
leia mais
Madrugada tem bloqueio de caminhoneiros também em São Paulo
leia mais
Inflação do aluguel perde força na 2ª prévia de fevereiro
leia mais
Veja quem deve declarar o Imposto de Renda 2015
leia mais
Analistas preveem PIB quase estável e inflação de 7% em 2015, diz BC
leia mais
São Paulo tem maior inflação entre capitais pesquisadas pela FGV
leia mais
Na estreia da equipe econômica, BC sobe juros a 12,25%, recorde em 3,5 anos
leia mais
Governo vai anunciar aumento de tributos nos próximos dias
leia mais
Após elevar tributos, Dilma veta correção da tabela do IR em 6,5%
leia mais
Dilma decide manter presidentes de Banco do Brasil, Caixa e BNDES
leia mais
Economia na região de Ribeirão seguirá fraca em 2015, diz estudo
leia mais
Inflação oficial fica acima da meta pelo 4º mês seguido, diz IBGE
leia mais
Real desvalorizado estimula venda de açúcar da nova safra, diz Copersucar
leia mais
Mercado eleva previsão para inflação e PIB neste ano
leia mais
Governo quer viabilizar produção de etanol de milho no Centro-Oeste
leia mais
Receita lança 'rascunho' para facilitar declaração do Imposto de Renda
leia mais