Dólar fecha semana em alta após declarações sobre juros nos EUA
27/05/2016
 
O dólar fechou em alta em relção ao real nesta sexta-feira (27), no menor valor desde o início de abril, em um dia marcado por baixo volume de negócios na emenda do feriado de Corpus Christi. O avanço foi acentuado após declarações sobre os juros nos EUA de Janet Yellen, chair do Federal Reserve, banco-central norte-americano.

A moeda norte-americana subiu 0,38%, cotada a R$ 3,611. Veja a cotação do dólar hoje. Na semana, o dólar subiu 2,64%.

Acompanhe a cotação ao longo do dia
Às 9h09, alta de 0,32%, a R$ 3,6089
Às 10h19, alta de 0,84%, a R$ 3,6279
Às 10h49, alta de 0,72%, a R$ 3,6235
Às 12h10, alta de 0,5%, a R$ 3,6156
Às 13h, alta de 0,53% R$ 3,6165
Às 14h29, alta de 0,09%, a R$ 3,6007
Às 15h20, alta de 0,51%, a R$ 3,6156
Às 16h19, alta de 0,21%, a R$ 3,6051

Em maio, o dólar acumula alta de 4,97%. No ano, porém, há desvalorização de 8,54%.

"O mercado está muito esvaziado hoje e continua bastante preocupado com a política", resumiu à Reuters o operador da corretora B&T Marcos Trabbold, ressaltando que o giro financeiro baixo tende a acentuar o impacto sobre as cotações.

Figuras importantes ligadas ao governo do presidente em exercício Michel Temer têm sido golpeadas por trechos de gravações divulgadas pela imprensa que já resultaram na queda do ex-ministro do Planejamento, senador Romero Jucá (PMDB-RR).

Segundo a Reuters, investidores temem que isso enfraqueça a capacidade do governo de aprovar medidas de austeridade fiscal no Congresso Nacional e afete a credibilidade do país junto a investidores estrangeiros.

Dólar na semana

O Banco Central não anunciou intervenção cambial, mantendo-se ausente do mercado pelo sexto dia de negócios seguido.

Cenário externo

Pela manhã, o departamento do comércio dos EUA anunciou que o PIB americano havia crescido mais do que o estimado no primeiro trimestre, o que acabou influenciando a cotação do dólar frente ao real.
Isso porque dados mais fortes da economia dos EUA podem levar o Fed, banco central norte-americano, a elevar a taxa de juros mais cedo que o esperado. Com isso, os investidores acabam preferindo aplicar nos EUA e, dessa forma, tiram seus dólares investidos no Brasil e levam para os Estados Unidos. Consequentemente, a cotação da moeda dos EUA frente ao real sobe.

Nesta tarde, Janet Yellen disse que o BC dos EUA deve elevar os juros "nos próximos meses" se o crescimento econômico melhorar como esperado e se os empregos continuarem a ser gerados, informou a Reuters.

"A economia continua melhorando... o crescimento parece estar melhorando", disse Yellen em comentários em Boston. "Se ele continuar e se o mercado de trabalho continuar a melhorar, e eu espero que isso ocorra... nos próximos meses tal movimento (alta dos juros) será apropriado."

"Yellen ficou na linha do que vínhamos ouvindo de outros membros do Fed, apontando para a possibilidade de subir juros em breve", disse à Reuters o economista da corretora Renascença Marcos Pessoa.

Autor: Do G1, em São Paulo

 
 
 
 
PIB do agronegócio cresceu 0,13% em janeiro, dizem a CNA e o Cepea
leia mais
Mercado aumenta previsão de inflação, baixa de PIB e vê mais juros
leia mais
FMI passa a ver contração de 1% do PIB do Brasil em 2015, com mais inflação
leia mais
Mudanças política e tributária tornam etanol mais vantajoso para nova safra
leia mais
Crise no Brasil vai piorar antes de melhorar, diz 'Financial Times'
leia mais
Intenção de consumo das famílias cai 11,9% em março, aponta CNC
leia mais
Mercado financeiro prevê PIB menor em 2015
leia mais
Esclarecimentos sobre a economia
leia mais
Alta da taxa Selic vai influenciar nas compras a prazo
leia mais
Novas regras do seguro-desemprego já estão valendo; entenda
leia mais
Madrugada tem bloqueio de caminhoneiros também em São Paulo
leia mais
Inflação do aluguel perde força na 2ª prévia de fevereiro
leia mais
Veja quem deve declarar o Imposto de Renda 2015
leia mais
Analistas preveem PIB quase estável e inflação de 7% em 2015, diz BC
leia mais
São Paulo tem maior inflação entre capitais pesquisadas pela FGV
leia mais
Na estreia da equipe econômica, BC sobe juros a 12,25%, recorde em 3,5 anos
leia mais
Governo vai anunciar aumento de tributos nos próximos dias
leia mais
Após elevar tributos, Dilma veta correção da tabela do IR em 6,5%
leia mais
Dilma decide manter presidentes de Banco do Brasil, Caixa e BNDES
leia mais
Economia na região de Ribeirão seguirá fraca em 2015, diz estudo
leia mais
Inflação oficial fica acima da meta pelo 4º mês seguido, diz IBGE
leia mais
Real desvalorizado estimula venda de açúcar da nova safra, diz Copersucar
leia mais
Mercado eleva previsão para inflação e PIB neste ano
leia mais
Governo quer viabilizar produção de etanol de milho no Centro-Oeste
leia mais
Receita lança 'rascunho' para facilitar declaração do Imposto de Renda
leia mais